5 de outubro de 2010

A dose de hoje



Porque foi nas noites que construímos nossas vidas que na madrugada me enfeito de flores primaveris pra me apresentar ao seu dia. Vejo descendo pelos cantinhos do meu sorriso a sensação mais roxa que a felicidade tem a um abraço. Pinto amores em telas vivas. Decalco sonho a um olhar. E te escrevo porque este é o raio-X da alma. A alma é sua. Aliás, você nem a deixa dentro de si. A espalha como se fosse um caminho de migalhas para você mesma não se perder.  Emaranhada por amores não resolvidos, todos vi-vi-dos, sentidos, encontrados numa esquina. E na outra, estou pra você.

Enxergo-te do lado a quilômetros. Enxergo-te carente. A menina cresceu no mundo, se esqueceu mulher. Seus cabelos deixam uma brisa com pinguinhos de carinho soltos na praça. Levo dias pra te achar. Queria ser a levada que pula o muro pra te encontrar. Ir brincar, de conversas que deixam um cheiro de intensidade. Viva La Vida Louca. De um inverno quente. Sempre ardente. Essa é a nossa pedida. Uma vodka com rodelas de intimidade. Vestígios de vivências costurados por todos os lados. E eu sei que você fez um cobertor pra não sentir o frio dos pensamentos. 

Continua sem parênteses. Sem delongas. Não preciso de explicações pra te amar. É que te quero bem, te quero com mimos de infância. Senti que estava lá e então guardei todos pra você. Sabia que iria precisar. É assim, quando tem que ser. Já é antes de ser. Nós, brincando de sermos estrelas. Iluminando a noite da outra. Sei que você chove. E ainda tem sol. Beleza de cores e água dos olhos. Tem pontes de arco-íris por todo seu corpo. 

Peguei a caneta pra te desenhar, te aninhar entre meus olhos. A bailarina dança entre as letras, os carinhos recolhidos do tempo seu. A janela está aberta pra deixar entrar a brisa dos teus acordes. Quero você menina dedilhando no ar conquistas. Ensinando-me numa tarde de domingo a amarrar os medos. Sentada no chão do meu quarto pra inspirar verdades do amor. Contando ao telefone do frenesi da batida tomada na noite passada. Arriscada. Válida por um vida. 

Só pra você. Sou feita de uma a uma pra te tapar os buraquinhos que insistem em aparecer. Sou uma, sou duas, sou três. Isto basta pra ser família.


**** 
P.s.: Que seja a Gabi do dia, ou o dia da Gabi. O que eu quero é você misturada a mim. 
Pode ser por uma dose. Mas que seja de eternidade. 

3 comentários:

Poliana Fonteles disse...

LIndo garota! muito bom mesmo...

Vagando! e olha onde eu vim parar...

encontrei algo em que pensar...

Abraço!

:D

Amanda Bia disse...

muito lindo. bela homenagem!
beijo.

Felipe Braga disse...

Coisa linda!

Isso é importante, a cumplicidade não pode ficar esquecida.

Beijos.